News

Vitória para os pacientes do SUS: está aprovada a incorporação da tecnologia de monitoramento remoto de dispositivos cardíacos

Em linhas gerais, o monitoramento remoto (domiciliar, ou onde quer que o paciente esteja), permite que o médico tenha acesso a informações  importantes sobre o paciente e seu dispositivo, na medida em que o paciente porte com ele um pequeno aparelho que cada empresa fabricante de dispositivos cardíacos dispõe para esta finalidade. Você pode saber mais lendo o artigo “Monitoramento Remoto de dispositivos cardíacos: perguntas e repostas”, que explica sobre o assunto de forma detalhada.

No dia 2 de junho, após uma manifestação da ONG do Clube do Marcapasso, a qual contou com assinatura dos pacientes de um manifesto pela incorporação da tecnologia de monitoramento remoto aos pacientes do SUS, estivemos na CONITEC – Ministério da Saúde. Participamos de uma reunião na COMISSÃO NACIONAL DE INCORPORAÇÃO DE TECNOLOGIAS NO SUS – CONITEC para conversar sobre o sistema de monitoramento remoto para pacientes do SUS, cuja incorporação foi inicialmente negada, naquela época  (Vide foto acima confira no final da matéria o link para o manifesto publicado).

A CONITEC recebeu a mim e o Consultor de Projetos da ONG, Wilson Follador, que também é voluntário e abraça a causa da ONG do Clube do Marcapasso.

Naquela data fomos recebidos pela Vânia Canuto, Gestora Governamental e Diretora substituta da CONITEC, e pela Ana Carolina que nos ouviram e levaram nossa apresentação para uma nova avaliação e decisão.

O resultado? Cada um de nós está fazendo parte da nova história da estimulação cardíaca no Brasil! A decisão preliminar foi revertida, e está aprovada a incorporação do monitoramento aos pacientes do SUS. A decisão pela incorporação da tecnologia aconteceu em reunião realizada nos dias 07 e 08 de junho de 2017, durante a 56ª Reunião Ordinária da CONITEC, e aprovada pelo Secretário de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Sr. Marco Fireman.

FullSizeRender.jpg

A estimulação cardíaca neste país precisava começar a escrever uma história diferente!

Mas mais que uma história diferente, uma história que fizesse diferença.

Isto só foi possível porque você, paciente, fez a diferença com sua participação. Seja pela assinatura do manifesto da ONG do Clube do Marcapasso, seja pelo seu depoimento Marciana Santos, por vídeo, que foi apresentada no dia, seja pela sua carta Rogério sobre o sistema de monitoramento que utiliza via plano particular (após decisão judicial). E nossa próxima etapa deverá ser justamente levar esta reivindicação para Agência Nacional de Saúde Suplementar  (ANS).

Meu muito obrigada a todos, e parabéns a todos nós pacientes, e aqueles que nos apoiam pelo interesse comum de fazer diferença para estimulação cardíaca artificial em nosso país.

O interesse da ONG do Clube do Marcapasso, e meu interesse pessoal, e como paciente, sempre será pelo coletivo. Por nós pacientes que começamos a ser escutados, por aquelas sociedades médicas que honram seu trabalho com práticas éticas respeitam os pacientes, pelos bons médicos da área que nos honram com sua competência e tratamento humanizado, pelos funcionários de empresas que honram sua profissão com competência e ética na lida com os pacientes, pelo sistema de saúde brasileiro que pode ser beneficiado com a nossa participação.

Obrigada CONITEC! Obrigada Ministério da Saúde por nos escutar e a todos os outros atores que participaram deste processo exitoso pela incorporação desta tecnologia aos pacientes do SUS.

Fica aqui registrada minha alegria, pois a luta para fazer este trabalho seguir, com dificuldades que muitos desconhecem, se quer podem imaginar, é grande.

Com a incorporação recém aprovada, a dinâmica para efetivar o sistema vai iniciar, e daqui a alguns meses, o sistema estará na prática, já disponibilizado. Certamente trarei mais informações a este respeito e certamente a ONG do Clube do Marcapasso irá acompanhar o processo e continuar zelando pelos nossos interesses e pela defesa de direitos sobre acesso à informações.

Luciana Alves PhD e-Patient Advisor | Blogger at e-Patient Brazil |Member of Society for Participatory Medicine | Presidente do Clube do Marcapasso


SAIBA MAIS SOBRE AS ETAPAS ANTERIORES DA PARTICIPAÇÃO DA ONG DO CLUBE DO MARCAPASSO NO PROCESSO:

  • CONITEC nega preliminarmente a incorporação da tecnologia de monitoramento remoto aos pacientes do SUS;
  • 07/04/2017: é publicada a Consulta Pública Nº 12 (Publicada no DOU 07/04/2017), “Procedimento de monitoramento remoto de pacientes portadores de dispositivos cardíacos eletrônicos implantáveis (DCEIs)”, para que a sociedade se manifeste sobre a decisão da CONITEC;
  • 27/04/2017: a ONG do Clube do Marcapasso participa da consulta pública online;
  • 28/04/2017: é publicado no Blog e-Patient Brazil – Pacemaker Users matéria sobre o assunto e convocado pacientes para assinar um manifesto pela mudança da decisão da CONITEC e solicitação de uma reunião junto à CONITEC, que posteriormente foi protocolado em Brasília; Link : Monitoramento Domiciliar: CONITEC NÃO foi favorável à proposta de incorporação da tecnologia para usuários de dispositivos cardíacos do SUS
  • 02/06/2017: CONITEC se reune com o Clube do Marcapasso que apresenta argumentos científicos, e com com base em experiência de pacientes, para que seja reavaliada a questão de um ponto de vista das necessidades por nós conhecidas. (Foto tirada durante reunião no dia 02/06/17)

 

Padrão