News

Conhecendo melhor a reabilitação cardíaca – Fase 1 – Intra Hospitalar

A Reabilitação Cardíaca é a forma terapêutica de exercício físico mais indicada aos cardiopatas nos primeiros meses após cirurgias cardíacas e implante de dispositivos cardíacos eletrônicos. É dividida por 4 fases, desde a fase intra-hospitalar até a fase de acompanhamento a distância, ou sem supervisão.

A fase 1 da Reabilitação Cardíaca é crucial pois alcança os pacientes no momento em que estão mais fragilizados e temerosos. Além da dor no local da incisão cirúrgica, ainda não sabem bem como funciona o novo dispositivo e a nova condição de saúde. É a fase intra-hospitalar, cheia de novidades. Salvos os casos em que existem grandes complicações, a saúde cardiovascular estará melhor após a cirurgia, portanto é importante colocar o coração “para trabalhar”!

Infelizmente a minoria dos hospitais dispõe de profissionais capacitados e exclusivos da Reabilitação Cardíaca. No entanto praticamente todos os pacientes que passam por procedimentos cirúrgicos em grandes hospitais são avaliados pela equipe de Fisioterapia Respiratória, que atuam na mobilização precoce e cuidados respiratórios, que são pilares também da Reabilitação Cardíaca.

Nesta fase os pacientes são avaliados e participam de programas de exercício diários, de curta duração, até a alta hospitalar. O ideal é que se inicie em até 48 horas após a cirurgia, ou quando houver estabilização do quadro, com exercícios passivos e com progressão gradativa, até se realizar caminhadas no corredor com uma velocidade satisfatória e subida de um lance de escadas. Os objetivos da fase 1 da Reabilitação Cardíaca são: prevenir a perda da capacidade física, evitar efeitos do repouso prolongado, evitar a depressão, evitar complicações respiratórias e tromboembólicas, facilitar a alta precoce, orientar o paciente e familiares sobre cuidados básicos de saúde e ajudar alcançar uma melhor qualidade de vida.

Nem todos irão concluir a Fase 1 da Reabilitação Cardíaca, por limitações da condição física imediata ou porque muitas vezes o paciente tem alta hospitalar dentro de poucos dias. É importante que ele seja encaminhado e inicie a Fase 2 (extra-hospitalar) o quanto antes para evoluir no ganho da capacidade funcional. O grande objetivo da Reabilitação Cardíaca é sempre melhorar a qualidade de vida e conseguir realizar atividades que gerem prazer de forma segura ao paciente.

Renata Cruzeiro Ribas – Fisioterapeuta especializada em Reabilitação Cardiovascular – Autora convidada do Blog e-Patient Brazil

Padrão