News

Apparecida comemora 1 ano de marca-passo e resume sua vida numa frase: “Eu sou uma mulher feliz.”

No dia 2 de maio de 1927 nascia na cidade de Barra Bonita/SP, Apparecida Victorino Perassoli, filha de João e Maria.

Criança estudiosa, formou-se professora no Colégio Nossa Senhora da Assunção na cidade de Piracicaba/SP. Casou-se com José e veio morar em Igaraçu do Tietê/SP, onde reside atualmente.

Teve seis filhas: Maria Rita, Maria Terezinha, Maria Cristina, Maria José, Maria Aparecida e Maria Angélica. Avó de cinco netos: Lilian, Beatriz, José Henrique , José Rogério e Matheus ( em memória ).

Lecionou por 25 anos como professora alfabetizadora.

Em janeiro de 1988 sofreu um acidente automobilístico. Bateu a cabeça e fraturou a clavícula. Ficou internada e desacordada por cinco dias. Católica e fervorosa de São Judas Tadeu não sofreu nenhuma sequela.

Com o passar do tempo, foi constatado que tinha angina, com acompanhamento de um cardiologista tomava medicamentos. Até que no início de agosto de 2015, começou a cansar-se com muita frequência.

Sua cardiologista, Dra Mara fez a internação no hospital de Barra Bonita/SP para a realização de alguns exames e após aconselhou a colocação de marca-passo.

Foi transferida para o Hospital Estadual de Bauru/SP para a realização do implante.

Em 31 de agosto de 2015 ocorreu a cirurgia que durou aproximadamente três horas.

Permaneceu na UTI para observação e depois foi transferida para o quarto, mesmo com toda a medicação que lhe foi prescrita sentia muitas dores nas costas.

Teve alta, veio para casa e na mesma noite não se sentiu bem, sentia muitas dores.

Foi levada novamente ao consultório da Dra Mara que fez a internação e solicitou vários exames como Raio X, tomografia e constatou-se edema pulmonar e embolia pulmonar. Com muita medicação e a retirada de líquido dos pulmões a sua saúde foi se restabelecendo.

Após o implante do marca-passo, foram necessários quatro meses para que tudo voltasse ao normal.

Idas e vindas ao cardiologista foi necessário pois sua pressão arterial passou a oscilar; num mesmo dia apresentava-se alta e depois bruscamente baixa. Novo diagnóstico: arritmia.

No final do ano de 2015 com a combinação de medicamentos, a vida ficou mais tranquila.

Apparecida faz fisioterapia todos os dias e todas as terças-feiras em sua residência recebe a fisioterapeuta Juliana que realiza com utensílios a fisioterapia cardiorrespiratória, sob a supervisão de sua filha Maria José. É muito disciplinada e a sua vontade de viver é enorme.

vo-palmeiras-2

Tem uma memória incrível, adora ouvir futebol pelo rádio, é palmeirense nata, fã de Tim Maia, gosta de músicas antigas nacionais e internacionais.

No dia 31 de agosto de 2016, sua filhas fizeram uma festa para comemorar 1 ano do implante do marca-passo.

É corajosa, tem muita fé, sabedoria e perseverança. Resume sua vida numa frase: “Eu sou uma mulher feliz.”

Padrão