News

IH! Eu esqueci: pacientes com insuficiência cardíaca ou que tiveram parada cardiorrespiratória podem ter problemas cognitivos

Se você tem a sensação que algo mudou após um evento de parada cardiorespiratória (PCR) ou na piora dos sintomas da insuficiência cardíaca, você pode estar certo.

Pacientes com insuficiência cardíaca e/ou que já sofreram uma PCR, podem apresentar comprometimento cerebral em áreas que afetam as funções cognitivas, autonômicas, e emocionais, e estes pacientes precisam ser avaliados para essas deficiências (1, 2).

As funções cognitivas englobam: a memória, atenção, linguagem, percepção, e funções executivas. O sistema cognitivo é a relação entre estas funções, que vai participar desde os comportamentos mais simples até aqueles de maior complexidade. Estes últimos irão demandar muito mais do nosso cérebro.

Alguns problemas cognitivos resultantes por exemplo de PCR prolongada, como efeito de lesões cerebrais, podem ser bastante evidentes, e por isso são tratados e acompanhados. Mas na maior parte dos casos, estes déficits podem não ser notados ou ainda são atenuados em sua importância por pacientes e familiares, que podem encarar isso como algo passageiro, ou mesmo o paciente se sentir constrangido de assumir que algo está errado, ou ainda achar que é coisa da cabeça dele.

Estudos científicos têm demonstrado esta relação entre déficit cognitivo e insuficiência cardíaca (1, 2), e percebo que, na prática, seus efeitos ainda não são considerados de forma ampla na clínica cardiológica para o desenvolvimento de intervenções e orientações para prevenir lesões cerebrais nesta população de doentes, assim como para triar possíveis déficits cognitivos existentes.

E porque isto é importante? Porque além do fato dos pacientes enfrentarem problemas no seu dia a dia em função do prejuízo causado pelos problemas cognitivos, uma lesão cerebral pode afetar a capacidade do paciente para o autocuidado, que envolve a assimilação de informações como a instrução para seguir um determinado tratamento.

Se você acha que algo mudou, você muito provavelmente está certo: converse com seu médico a respeito e/ou agende uma consulta com um neurologista. Ele poderá avaliar esta questão mais afundo, e solicitar testes neuropsicológicos (que avaliam as funções cognitivas) e exames de imagem, para verificar o que está ocorrendo.

Dr. Luciana Alves PhD e-Patiente Adviser | Blogger no PACEMAKERusers |President/CEO no Clube do Marcapasso (Organização Não Governamental)

Referências

1 – Woo Mary A. et al. Brain Injury in Autonomic, Emotional, and Cognitive Regulatory Areas in Patients With Heart Failure. Journal of Cardiac Failure, 2008, Vol. 15, Issue 3, p214–223.

2 – Gallagher R. et al. Mild Cognitive Impairment, Screening, and Patient Perceptions in Heart Failure Patients. Journal of Cardiac Failure, 2013, Vol. 19, Issue 9, p641–646.

Padrão