News

Portadoras de marca-passo denunciam assédio sexual no Facebook

Como representante de comunidades e moderadora de dois grupos no Facebook, o “Clube do Marcapasso” e o “Pacemakers Runners”, venho denunciar publicamente um fato que vem ocorrendo nesta rede social: no último mês e meio, fui procurada por três mulheres vítimas de assédio sexual via chat no Facebook. 

Todas estas pessoas foram orientadas a denunciar ao Facebook e a bloquear o abusador. Entretanto, sabemos que a simples denúncia ou bloqueio não impede que outras mulheres continuem sendo sistematicamente vitimadas por estes crápulas.

Aliás, um destes é reincidente! Na última semana, mais uma denúncia foi feita por membro do grupo.

Uma das vítimas me relatou, via chat do Facebook, o seu pânico durante o abuso. O indivíduo desejou que ela passasse mal (ela é portadora de dispositivo cardíaco) para que ele pudesse “salvá -lá”.

Outro assediador denunciado perseguiu a portadora de marca-passo se infiltrando inclusive em nosso grupo de apoio. Após a denúncia a mim por chat privado, o mesmo foi imediatamente banido do grupo. Da mesma forma, orientei que a outra pessoa fizesse denúncia ao Facebook, assim como o bloqueio da conta do agressor.

O perfil reincidente denunciado a mim, perfil este que não se identifica por um nome de pessoa física, utiliza uma imagem que remete à estimulação cardíaca. Pior, utiliza em seu perfil imagens de um dispositivo de uma das empresas fabricantes de marca-passo, e na capa, a de um grande hospital da cidade de São Paulo! Acredito que estas empresas estejam sendo lesadas diretamente, ao terem suas imagens associadas a uma assediador sexual!

Sabemos que o Facebook se empenha em melhorar suas ferramentas em prol do seus usuários. Por isso, solicito uma atenção especial para esta questão, que certamente deve afetar milhares de usurárias na rede, no Brasil e em diversos países. A atual ferramenta de denúncia do Facebook precisa ser ajustada, para melhor ajudar a coibir o assédio sexual também via chat.

A ferramenta usual do Facebook permite que se denucie conteúdos impróprios da timeline (linha do tempo), entretanto, deixa em aberto situações que ocorrem no chat, e não deixa claro aos usuários da rede como denunciar o assédio sexual. Isto precisa mudar! Melhorar a usabilidade desta ferramenta é fundamental e será um excelente exemplo que o Facebook prestará à população mundial.

Assédio sexual é crime! No mundo todo milhares de mulheres sofrem abusos e muitas delas silenciam. Nas redes sociais, muitas delas certamente se calam, ou se sentem constrangidas a interagir com outras pessoas pela rede, ou participar de seus grupos como forma de evitar o assédio.

Relato isso porque foi desta forma que descobri o primeiro caso de assédio nos grupos dos quais participo. Pior: o assediador e perseguidor estava infiltrado em vários grupos dos quais esta pessoa fazia parte. E ela estava intimidada pela presença do assediador em seus grupos.

De minha parte, o que posso fazer é publicar esta carta aberta como alerta a todas as mulheres: se o seu abusador está no anonimato, você não precisa estar também. Denucie! Não deve haver tolerância para o crime. A probabilidade de que este abusador esteja fazendo isso com outras mulheres é grande, e quanto mais ele for denunciado, maiores as chances de que o Facebook entenda que se trata de uma ação criminosa. Assim, peço para que todos compartilhem este texto, de forma que influenciemos esta (e outras) rede social a implementar as ferramentas necessárias de combate ao assédio sexual.

Mulheres somos todas! E algumas de nós portadoras de marca-passo. A responsabilidade social em combater este tipo de crime é de todos. Conto com a sua colaboração na disseminação deste conteúdo.

Convido o Ministério da Justiça e a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPMulheres) a participarem e abraçarem esta causa e debate.

Muito obrigada,

Dra. Luciana Alves PhD – Blogger em PACEMAKERusers – portadora de marca-passo cardíaco

Padrão