Minha História

Tive uma parada cardíaca quando estava indo comprar um cadeado

Oi. Meu nome é Guilherme Da Silva Moreira, tenho 17 anos*, e sou de Santa Catarina.

Vou contar então um pouco da minha história.

Sou portador de CDI a três anos, quando em Janeiro de 2013 veio a ocorrer um grande marco em minha vida. Tive uma para cardíaca com 15 anos, quando pela manhã minha mãe pediu para que eu fosse até um mercado para comprar um cadeado (Isso quem conta é minha mãe porque daquele dia eu não me lembro de absolutamente nada).

Ao voltar para minha casa eu então tive a parada cardíaca e cai na rua perto de minha casa. Uma vizinha nossa de idade me avistou caído ao chão e chamou logo meu irmão para que fosse ver o que tinha acontecido e então ele entrou em desespero e correu chamar meus pais que também na mesma hora correram para me socorrer. Não sabendo da situação em que estava ocorrendo ele me pegaram em seus braços e tentavam interagir comigo de uma forma ou outra desesperados e chamaram a atenção da vizinhança que logo ficaram ao meu redor para saber o que havia acontecido.

Nosso vizinho que morava em frente a nossa casa vendo a situação em que me encontrava ligou imediatamente para os bombeiros. Imaginando que eles não iam chegar a tempo, me colocou em seu carro e correu em busca de socorro. Ao virar a curva da rua em que estavamos, saindo, o bombeiro nos encontrou e então logo me colocaram na ambulância e fizeram os procedimentos para me reanimar com choque, e tudo mais.

Minha mãe correu ao hospital e lá recebeu uma notícia mas agradável, em que os bombeiros disseram que era para ela se acalmar porque já tinham conseguido me reanimar e eu estava com os batimentos novamente normal. Fiquei na U.T.I de Videira (SC) 10 dias, e em Xanxê 8 dias, aonde foi que eu fiz a cirurgia para implante do CDI.

Hoje o que eu mesmo curto é viajar para conhecer novos lugares.

(*Autorizada a publicação por Édila da Silva Furtado – Mãe)

Padrão