News

Atividades físicas beneficiam portadores de marca-passo

A prática de exercício físico é essencial para a saúde das pessoas, inclusive para aquelas que possuem algumas limitações. O aumento da autoestima, o alívio da pressão e o equilíbrio do corpo são alguns dos benefícios que a atividade física proporciona para o tratamento e a prevenção de doenças.  Porém, a falta de informação faz com que os portadores de marca-passo, por exemplo, não levem uma vida normal e considerem que não podem praticar alguma atividade física. No entanto, especialistas recomendam que os pacientes busquem acompanhamento para avaliar a intensidade dos exercícios que podem praticar.

Após a implantação do marca-passo, muitos pacientes ficam com receio de realizar atividade física, por achar que pode interferir no funcionamento eletrônico do aparelho. Segundo o cardiologista Júlio Ayres, os pacientes portadores de marca-passo devem procurar fazer exercícios que não tenham impacto com a região do peito, como caminhada, corridas, hidro-ginástica para que não ocorra um trauma no local do implante.

De acordo com o cardiologista, a implantação do Marca-passo Cardíaco Artificial é recomendada às pessoas que sofrem com insuficiência cardíaca e que tenha apresentado infarto, coração dilatado e doença de Chagas. “Pacientes podem depender do implante do marca-passo quando possuem arritmias cardíacas graves, que não resolvem somente com uso de medicações ou nos casos de portadores de insuficiência cardíaca que necessitam tomar algumas medicações, mas o coração não aguenta. Nesses casos, colocamos o marca-passo como suporte ao tratamento medicamentoso”, explica Júlio Ayres Filho.

Com o marca-passo, o coração volta a bombear o sangue, permitindo um melhor funcionamento dos batimentos cardíacos lentos. O aparelho é um dispositivo eletrônico composto de uma bateria de lítico, um gerador de impulsos e eletrodos que se comunicam com o coração, o qual produz impulsos que permitem a contração cardíaca e o batimento normal do coração.

Para iniciar qualquer atividade física, é importante que os portadores do aparelho realizem uma revisão prévia. “As pessoas que usam marca-passo precisam fazer a manutenção conforme recomendado pelo especialista. Como já disse anteriormente, é fundamental evitar exercícios que tenham impacto, como futebol e basquete. O limite da sua atividade física não depende do uso ou não do marca-passo e, sim, da sua própria condição física”, destaca o cardiologista.

O jornalista Antônio Sousa Neto colocou um marca-passo em fevereiro deste ano e hoje segue as primeiras recomendações médicas em relação aos exercícios físicos. Ele faz uma caminhada diária de 15 minutos. “Caminho como se estivesse passeando no shopping. Todos os meses, faço consultas e agora vou avaliar as minhas reais condições físicas para exercícios e ainda ter o acompanhamento de uma nutricionista, já que, por enquanto, sigo as recomendações imediatas do médico em relação à dieta”, disse Sousa Neto.

O jornalista é portador de várias doenças cardíacas e é denominado de cardiopata grave. Por isso, segue uma rigorosa dieta e tem que seguir o tratamento à risca, sem pular etapas, seguindo todas as recomendações do cardiologista.

Sempre é bom lembrar para consultar seu médico antes de qualquer atividade física, somente ele conhece o histórico clínico completo.

Por Piero Lourenço – Biomédico – Autor convidado de PACEMAKERusers

* Texto adaptado do site Diário do Povo – Piauí.

Padrão