News

Interações entre equipamentos de radioamadores e marca-passos

Uma das principais preocupações de uma pessoa que recebe a notícia da necessidade de implantar um marca-passo tem haver com as possíveis restrições que o dispositivo possa impor à sua qualidade de vida.

No meu caso, não foi diferente. Tendo o radioamadorismo como hobby e ciente de toda a discussão referente a interferências no marca-passo por radiação eletromagnética, imaginei que teria que abandonar tal atividade.

Não satisfeito com as informações controversas sobre o assunto, resolvi pedir orientação formal diretamente ao fabricante do marca-passo, no caso, a Medtronic.

Assim, recebi a seguinte resposta do fabricante:

Obrigado por entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Paciente da Medtronic com questionamentos sobre possíveis interações entre torres/antenas/equipamentos de radioamadores e seu marcapasso implantado.

Em função da nossa experiência, podemos afirmar que os marca-passos da Medtronic são extremamente resistentes à interferência elétrica externa.

Os marcapassos Medtronic têm uma caixa de titânio em torno deles que blinda os seus circuitos internos contra a maioria dos tipos de interferência elétrica externa. Além disso, tais dispositivos são construídos com filtros especiais que bloqueiam a maior parte dos sinais de interferência elétrica.

Para o caso específico de equipamentos de radio transmissão utilizados por radioamadores, as seguintes distâncias mínimas entre a antena e o marca-passo e os níveis de transmissão associados são recomendados para evitar qualquer interferência temporária:

tabela_radiomador_medtronic

Se os campos eletromagnéticos ao redor do equipamento de radioamador estiverem demasiadamente próximos do seu marca-passo e este detectar tais campos, eles podem temporariamente afetar o funcionamento normal do dispositivo implantado. Este mesmo efeito também pode ocorrer se o equipamento ou dispositivo manuseado não estiver funcionando adequadamente ou não tiver sido instalado corretamente, podendo resultar em um fluxo de corrente elétrica no seu corpo.

Em qualquer caso, essa interferência temporária pode fazer com que o dispositivo gere uma terapia que não seria aquela necessária ou impedir uma terapia que seja necessária. Isso poderia resultar em tonturas, vertigens, mudança na frequência cardíaca ou, se você tiver um desfibrilador implantado, você pode receber um choque que não era previsto para aquele momento.

Se você sentir qualquer um destes sintomas enquanto estiver usando um equipamento, simplesmente largue tudo o que você está segurando ou afaste-se dele. Seu dispositivo de coração é projetado para retornar à operação normal, imediatamente após cessarem as causas daquele evento.

É altamente improvável que qualquer efeito temporário seja capaz de causar a alteração programação ou danificar seu dispositivo de coração. Evidentemente, se os sintomas continuarem ou não melhorarem, a Medtronic recomenda que contate o seu médico assim que possível.

Do acima exposto, pode-se afirmar que um portador de marcapasso exposto a campos eletromagnéticos, como o caso dos radioamadores, pode conviver naturalmente com tal situação, desde que respeite as distâncias mínimas e potências informadas acima pelo próprio fabricante do dispositivo.

Considerando que a maioria dos radioamadores mora em prédios e que suas antenas estão instaladas no telhado, a distância mínima de segurança entre a fonte de radiação eletromagnética e o marcapasso está garantida. Além disso, poucos radioamadores utilizam potências superiores a 100 watts, o que requer uma distância mínima de cerca de 1,8 m, facilmente obtida em qualquer tipo de instalação de equipamentos de radioamadores.

Por último, tenho certeza que Wilson Greatbatch, inventor do marcapasso e radioamador, jamais abandonaria o seu hobby.

Por Paulo Benjamin Borensztein – Engenheiro Eletrônico – Portador de marca-passo cardíaco – Autor convidado de PACEMAKERusers

Padrão